BANNER---REVISTA-MÍDIA---980-x-250-PX.jp

Você sabe o que é excipiente e como ele é utilizado em seu medicamento?


Rita Queiroz Sabbag - Farmácia de Manipulação Queiroz


A escolha dos excipientes é feita com auxílio de muito estudo sobre a solubilidade e estabilidade de cada princípio ativo.


Excipiente é uma substância inerte, farmacologicamente inativa, usada como veículo para o princípio ativo, ajudando na sua preparação ou estabilidade. Ele completa a massa ou volume especificado.


É utilizado para se obter a forma farmacêutica desejada, ou seja, cápsula, sachê, xarope, gel comestível, solução capilar, creme, gel transdêrmico ou outros formatos de apresentação.


O excipiente é responsável por completar a massa ou volume da fórmula, proporcionando uma padronização de peso e de teor do princípio ativo. Ele é um dos grandes diferenciais da manipulação, pois é nele que conseguimos personalizar e deixar a fórmula isenta de ativos alérgenos e sem tantos componentes químicos que encontramos nos industrializados.


É nele que se adicionam as substâncias ativas e é essencial a escolha correta para que se tenha o tratamento desejado. Ele serve de veículo para o princípio ativo, por isso deve permitir uma correta liberação no organismo, entregando-o no destino esperado.


Os excipientes devem ser selecionados conforme cada ingrediente, visando uma maior disponibilidade.


Por exemplo, excipiente específico que promova a liberação lenta do princípio ativo, ou excipientes oleosos para substâncias lipossolúveis.


Ele é utilizado para auxiliar o princípio ativo a obter a devida forma e eficiência farmacêutica, visando proteger o fármaco contra a hidrólise ou oxidação.


Para uso externo temos diversos tipos de bases galênicas e sempre observamos qual a base terá melhor compatibilidade com a área a ser aplicada, tipo de pele a ser tratada e com finalidade de tratamento. Um excipiente muito utilizado para carrear hormônios e substâncias lipofílicas é o gel transdêrmico, permitindo que eles atravessem a bicamada lipídica da pele e cheguem na corrente sanguínea.


Para uso interno os excipientes servem para preencher o conteúdo de uma cápsula, oferecer proteção contra efeitos da umidade e ar, facilitar a ingestão, permitir que os ativos não fiquem aglutinados em grãos durante a manipulação e atuar como adjuvantes para corrigir odo, cor e sabores desagradáveis aumentando a adesão do paciente ao manipulado.


Viram como cada formulação requer muito estudo? Manipular é uma arte!


Publicidade



Receba notícias do Portal MÍDIA no WhatsApp!

Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI

©2020 por Portal Mídia Brasil ®

Av. Conde Ribeiro do Valle, 255  - 2º Andar - Sala 8

E-mail: revistamidia@revistamidia.com.br

Tel. (35) 3551-2040 - Guaxupé  MG