top of page
consórcio 980x250.jpg

Governo antecipa vacinação de trabalhadores de educação e da população em geral

O objetivo da medida é acelerar o ritmo de vacinação em todo o país


O Ministério da Saúde antecipou a vacinação contra a covid-19 para os trabalhadores de educação. Além disso, a Pasta autoriza a imunização da população em geral por ordem decrescente de faixa etária, após conclusão da vacinação dos grupos prioritários mais vulneráveis e trabalhadores de educação.


O ministério começará a enviar doses aos estados, de forma escalonada, para atender a esse público, juntamente com outros grupos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).


Continua após a publicidade


A motivação da priorização dos trabalhadores da educação se deve aos impactos sociais ocasionados pela covid-19 com a necessidade de volta às aulas presenciais.

As creches e escolas contribuem não só para a educação de milhares de brasileirinhos como também garantem a segurança alimentar das crianças.


No caso dos trabalhadores de educação, a orientação é seguir essa ordem de prioridade: creches, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e Educação de Jovens e Adultos e, na sequência, trabalhadores da educação do ensino superior.


“Nós tivemos diversas discussões em relação ao reordenamento do PNO, mediante alguns relatos de estados e municípios terem, neste momento, demanda reduzida. A gente não pode deixar a vacina estocada. Então, resolvemos flexibilizar um pouco essa ação com o objetivo de acelerar a vacinação dos grupos prioritários”, afirmou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, durante coletiva de imprensa sobre o tema nesta sexta-feira (28).


Para além dos grupos prioritários, entre eles os trabalhadores da educação, o Ministério da Saúde também autoriza a vacinação da população geral, de 18 a 59 anos.


Para iniciar a vacinação da população em geral, terá que ser verificada a situação de cada localidade.


Assim que completar a vacinação dos

grupos mais vulneráveis (pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, pessoas em situação de rua, funcionários do Sistema de Privação de Liberdade e população privada de liberdade) e trabalhadores de educação, é possível iniciar a vacinação por faixa etária, desde que a vacinação dos grupos prioritários restantes seja mantida e cumprida, de acordo com a ordem estabelecida pelo PNO.


“O PNI vai atender o segmento em continuidade ao PNO, e vai também atribuir um percentual por faixa etária, começando da faixa etária mais velha para a mais jovem. Pois quanto maior a faixa etária maior o risco de complicações e óbitos. Com isso, segue-se o mesmo critério utilizado para definição dos grupos prioritários”, disse a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana.


As recomendações foram pactuadas na Comissão Intergestores Tripartite (CIT), realizada nesta quinta-feira (27/5), com representantes do Ministério da Saúde, estados e municípios. As orientações também estão em uma nota técnica do Programa Nacional de Imunizações (PNI).


Publicidade


Comments


wtzp.png

Receba notícias do Portal MÍDIA no WhatsApp!

Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI

bottom of page