BANNER---REVISTA-MÍDIA---980-x-250-PX.jp

Decreto prorroga quarentena em Guaxupé por mais 15 dias - mas com exceções

O descumprimento das vedações impostas neste decreto implicará na aplicação das medidas administrativas cabíveis, inclusive cassação do respectivo alvará de funcionamento.

Foi publicado na noite desta segunda-feira, dia 6 de abril, pela Secretaria de Assuntos Jurídicos da Prefeitura Municipal de Guaxupé, o Decreto 2.201, que prorroga a quarentena pelo período de quinze dias no Município e dispõe sobre as medidas para o enfrentamento da pandemia do Novo Coronavírus COVID-19, previstas na Lei Federal n. 13.979, de 6 de fevereiro de 2020.

Conforme o documento, o avanço da contaminação em toda a região "inviabiliza o afrouxamento de medidas de distanciamento social".

Desta forma, fica mantida a proibição de reuniões em igrejas, templos e entidades religiosas, além do funcionamento de comércio e empresas de prestação de serviço".

Estão excluídas do documento as atividades abaixo:

  • Farmácias; Clínicas odontológicas, em regime de urgência e emergência;

  • Hospitais, clínicas e lojas de produtos veterinários;

  • Transporte público coletivo (circular) e individual (táxi);

  • Transportadoras, transportadores autônomos e armazéns;

  • Empresas de telemarketing e telecomunicações;

  • Supermercados e mercados, sendo vedada alimentação no local;

  • Entrepostos atacadistas comerciais;

  • Açougues;

  • Padarias, sendo vedada alimentação no local;

  • Deliveries;

  • Limpeza pública;

  • Empresas de limpeza e manutenção;

  • Bancos, cooperativas de crédito e lotéricas;

  • Hotéis e pousadas, com alimentação restrita aos apartamentos;

  • Construção civil e lojas de materiais de construção e elétricos;

  • Postos de combustível;

  • Distribuidores de peças automotivas, oficinas mecânicas (inclusive de concessionárias de veículos) e borracheiros;

  • Todo sistema de segurança pública e privada;

  • Indústria;

  • Distribuidoras de água e gás;

  • Todas aquelas atividades que possam ser exercidas em regime de ‘home-office' e delivery', sem atendimento presencial ao público;

  • Laboratório de análises clínicas;

  • Serviços de tecnologia da informação relacionados a gestão, desenvolvimento e manutenção de ‘hardware, software', hospedagem e conectividade;

  • Lojas de conveniência, desde que não haja consumo de alimentos e bebidas no local

  • Óticas;

  • Salões de Beleza, Barbearias e Clínicas de Estética de modo que no interior do estabelecimento permaneça apenas um cliente por profissional em exercício, sendo proibidas as salas de espera e aglomerações, devendo ainda ser dada prioridade aos instrumentos descartáveis e, para os não descartáveis, que sejam esterilizados a cada uso, bem como respeitada a distância de dois metros entre os profissionais e uso obrigatório de máscara aos profissionais e clientes.

A todas as atividades, fica vedada a colocação de mesas, cadeiras e produtos de exposição em vias, passeios e quaisquer espaços públicos e privados para atendimento ao público, sendo vedado o consumo de alimentos e bebidas nestes espaços.”;

O referido Decreto determina que os estabelecimentos comerciais, industriais e órgãos públicos adotem sistemas de escalas, revezamento de turnos e alterações de jornadas, para reduzir fluxos, contato e aglomeração de trabalhadores, bem como implementem medidas de prevenção ao contágio pelo agente Coronavírus (COVID-19), disponibilizando material de higiene e orientando seus empregados de modo a reforçar a importância e a necessidade de adotar cuidados pessoais, sobretudo lavagem das mãos, utilizar produtos assépticos durante o trabalho, como álcool em 70%, e observar a etiqueta respiratória.

Devem manter a limpeza dos instrumentos de trabalho e fazer a utilização, se necessário, do uso de senhas ou de outro sistema eficaz, a fim de evitar a aglomeração de pessoas dentro do estabelecimento bem como demarcação dos espaços por distanciamento de 2 metros e restrição de acesso.


Restaurantes e empresas que trabalham com comércios de gêneros alimentícios preparados e distribuidoras de bebidas poderão funcionar por meio do sistema de “delivery" e entrega agendada no local, devendo ser mantidas as portas fechadas.

Está proibida a aglomeração e a permanência de pessoas em praças e logradouros públicos.

O descumprimento das vedações impostas neste decreto implicará na aplicação das medidas administrativas cabíveis, inclusive cassação do respectivo alvará de funcionamento.


Publicidade


Receba notícias do Portal MÍDIA no WhatsApp!

Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI

wtzp.png
clinimplant1.jpg

©2020 por Portal Mídia Brasil ®

Av. Conde Ribeiro do Valle, 255  - 2º Andar - Sala 8

E-mail: revistamidia@revistamidia.com.br

Tel. (35) 3551-2040 - Guaxupé  MG