top of page
consórcio 980x250.jpg

Café de Caldas é o campeão do Especialíssimo 2023


Edenilson Aparecido de Carvalho colheu o melhor café especial produzido na área de atuação da Cooxupé nesta safra

 

O Programa Especialíssimo da Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé e da SMC Specialty Coffees revelou que o melhor café especial colhido em 2023, na área de atuação da Cooxupé, vem de Caldas, cidade do sul mineiro. Ao obter a nota 89,75, o cooperado Edenilson Aparecido de Carvalho foi o campeão no Programa deste ano. A cerimônia de premiação aconteceu no dia 03 de novembro, em Guaxupé (MG).

 

No total, o Especialíssimo distribuiu R$ 330 mil em premiação aos cooperados. O lote de café campeão ficou com o valor de R$ 50 mil.

 

Emocionado, o cooperado Edenilson, que integra o Núcleo de Campestre da Cooxupé, explica a chave do sucesso para produzir um café de altíssima qualidade. “O segredo é o grande amor que eu e minha família temos pelo café. Isso é um sonho de criança. Recebendo o apoio técnico da Cooxupé e da SMC, comecei a colher café especial a partir de 2017. Meu café esteve dentre os 50 em todas as edições do Especialíssimo. Não estava esperando esta vitória. Eu sei que tenho um café bom, mas saber que é o melhor é muita emoção. São necessários muitos cuidados especiais para obter um café de qualidade e de alta pontuação”, afirma o cooperado campeão.

 

Segundo e terceiro colocados

O café especial produzido pelo cooperado Adriano Muniz foi o vice-campeão de 2023, com a nota 89,68. Na edição de 2022, o produtor esteve entre os cinco primeiros. De Cabo Verde (MG), ele afirma que para obter uma qualidade ainda mais especial, do ano passado para cá, e chegar à segunda colocação foi preciso contar com a ajuda de recursos tecnológicos. “Tudo isso confirma a importância da tecnologia, que está sempre mudando, pois são muitas coisas diferentes no processo de secagem, no terreiro e nas fermentações. E quando acontece um resultado desse confirma que estamos na linha correta. Meu objetivo é elevar ainda mais a pontuação do meu café”, disse Muniz. A premiação dele foi de R$ 30 mil.

 

Já com a nota 88,50, o café da cooperada de Campestre (MG), Dulce Vieira Franco de Souza, conquistou a terceira colocação e, assim, recebeu o prêmio de R$ 20 mil. Ela conta que a preocupação maior foi corrigir os erros ao buscar orientação técnica na Cooxupé e, assim, alcançou a qualidade esperada. “Estou muito contente por estar entre os 50. Este café premiado é exótico e é um café que dá força. Nós temos uma propriedade relativamente pequena e temos uma estrutura só, terreiro, tudo junto. Sempre tentamos caprichar e fiquei impressionada com a pontuação”, contou a produtora.

Avaliações

Todos os 50 lotes selecionados pelo Especialíssimo passaram por avaliação de um time composto por 12 Q-graders, profissionais licenciados com vasto conhecimento em classificação e degustação de cafés. A equipe foi liderada por Flávio Borém, head judge do Programa, docente da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e pesquisador especialista em cafés especiais.

 

“O ranking é feito de acordo com as notas de cada café, seguindo o protocolo SCA (Associação de Cafés Especiais - Global). Assim, a nota é uma representação dos atributos técnicos e sensoriais. Ou seja, características como o nível de doçura, o tipo de acidez, o tempo de permanência dos sabores na boca, todas de suma importância para a classificação de um café especial. Neste sentido, todo detalhe importa e foi levado em consideração no momento da avaliação”, explica Osvaldo Bachião Filho, vice-presidente da Cooxupé.

 

Mercados brasileiro e internacional

Absorvidos rapidamente pelo mercado, os lotes premiados pelo Especialíssimo são comercializados a compradores de países como Brasil, Japão, Inglaterra, Estados Unidos, Irlanda, Itália, Grécia, Austrália e Coreia do Sul.

 

“A cada edição do programa percebemos maior engajamento de nossos cooperados para produzir café de qualidade especial e, para isso, é preciso muita atenção em várias etapas, especialmente na de pós-colheita. Este tipo de café traz aos produtores mais competitividade e rentabilidade, uma vez que um lote de café especial é melhor remunerado em relação ao commodity. Além disso tudo, apresentamos aos compradores internacionais o quanto o Brasil é exemplo na produção cafeeira, garantindo ao mercado global um café com qualidade e sustentabilidade comprovadas”, destaca o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo.

 

Dentre as exigências estabelecidas pelo Especialíssimo consta que todos os lotes selecionados devem atender, no mínimo, ao requisito Nível 1 do Gerações, o protocolo próprio de sustentabilidade da Cooxupé implantado junto às famílias cooperadas desde o ano passado. O protocolo possui quatro níveis de sustentabilidade e é totalmente flexível de acordo com a realidade dos produtores, cuja maioria representa - em mais de 97% - a agricultura familiar, sendo mini e pequenos produtores.

 

Safra Especial 2023

Ainda na cerimônia de premiação do Especialíssimo, a Torrefação da Cooxupé lançou o café Prima Qualità Safra Especial 2023 com edição limitada no varejo brasileiro. A cada ano, este produto é produzido a partir da seleção entre os lotes finalistas do Programa Especialíssimo. Com tipo de café 100% arábica, esta linha apresenta pontuação de nota 87,5; aroma frutado; corpo licoroso e notas sensoriais de cereja e caramelo.

 

O Safra Especial 2023 reúne microlotes finalistas do Programa Especialíssimo vindos dos cooperados Carlos Paulino de Sousa, de Lambari (MG); Ronaldo Reis Madeira, de Nova Resende (MG); e Adolfo Henrique Vieira Ferreira, de Monte Belo (MG).

 

Os 10 melhores lotes de cafés especiais da safra 2023 da Cooxupé selecionados pelo Programa Especialíssimo

 

1º) Edenilson Aparecido de Carvalho - cidade de Caldas, núcleo de Campestre.

2º) Adriano Muniz - cidade e núcleo de Cabo Verde.

3º) Dulce Vieira Franco de Souza – cidade e núcleo de Campestre.

4º) Weber Marcos Dias - cidade de Poços de Caldas, núcleo de Botelhos.

5º) Túlio Henrique Renno Junqueira - cidade de Heliodora, núcleo de Lambari.

6º) Carlos Paulino de Souza – cidade e núcleo de Lambari.

7º) Alex Sandro Cardoso - cidade de Bom Jesus da Penha, núcleo de Nova Resende.

8º) Thales Eduardo da Silva Carvalho - cidade de Caldas, núcleo de Campestre.

9º) Thiago Henrique Maringoli Muniz – cidade e núcleo de Cabo Verde.

10º) Marcelo Edinan Teixeira - cidade de Bandeira do Sul, núcleo de Campestre.

コメント


wtzp.png

Receba notícias do Portal MÍDIA no WhatsApp!

Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI

bottom of page